Copywriting: o que é, o que faz, como estruturar

Se tem uma profissão super atual no mercado, é a de Copywriter. Mas é comum que sejam feitas ainda algumas confusões com relação a ela. Vem com a gente que vamos destrinchar melhor tudo isso nessa matéria 😉

Começamos pelo começo! (Jura?) 😜


Afinal de contas, o que é Copywriting?

Copywriting

Esse termo é utilizado para a produção de textos focados em persuasão, vendas, captação de leads ou alguma ação específica. A famosa “Copy” pode ser aplicada em diferentes conteúdos, sejam eles: emails marketing, legenda de publicações, carrosséis, landing pages, ebooks, materiais impressos, enfim. Tudo o que envolve persuasão textual buscando alguma ação, se refere a Copywriting.


Qual a diferença entre ser Copywriter e Redator?

Basicamente, são os métodos e as técnicas utilizados na escrita. Por exemplo: imagine que você tem dois textos para ler sobre design. O que foi escrito por um redator, vai te apresentar todo o conteúdo sobre o tema. O que foi escrito por um copywriter, tem grandes chances de terminar te convidando a conhecer um curso de design. (Falando nisso, você já conhece todos os cursos da Escola Casa? 😅😂)

Isso não significa que um é certo e o outro não. Significa apenas que, cada um deles, tem objetivos diferentes, que podem se enquadrar em estratégias diferentes. 

Mas já que o foco dessa matéria hoje é sobre Copy, voltemos então ao tema.


Como fazer um bom texto de Copywriting? 

Existem uma série de técnicas que podem ser utilizadas para auxiliar na criação de conteúdos mais persuasivos. Vamos te apresentar algumas delas:

Neuromarketing: essa técnica é relacionada com o comportamento dos consumidores e das lógicas de consumo. A partir desse estudo, é possível compreender melhor o que motiva as pessoas a comprarem um determinado produto/serviço;

Gatilhos mentais: estímulos cerebrais psicológicos que fazem com que tenhamos determinadas reações;

Storytelling: contar histórias a partir de uma narrativa que atraia a atenção do público e seja fluida;

Tom de voz: conte sua história com a voz da marca, escrita para o público dela, com sua linguagem própria, bandeiras e posicionamentos;

Credibilidade: cumprir aquilo que se promete é o mínimo a ser feito. Antes de querer vender algo, mostre que aquilo que a marca oferece realmente faz sentido para o público;

Solução de problemas: todo grande negócio surge a partir da possibilidade de curar problemas de um público. Lembre-se daquilo que, muitas vezes, falamos por aqui… qualidade não é diferencial. Isso é o básico que uma marca pode entregar. Então, ao criar uma copy verdadeiramente persuasiva, não esqueça de falar sobre as dores que aquele produto ou serviço cura;

Gramática em dia: não adianta um texto super bacana, com ideias incríveis, história maravilhosa mas cheio de erros de gramática e vícios de linguagens.


Mas e como estruturar uma Copy?

Cada copywriter cria suas próprias técnicas e maneiras de estruturar a sua copy. Mas nós vamos te apresentar um método que, com certeza, vai te ajudar bastante na criação do storytelling. É o Método AIDA.

A= Atenção

I= Interesse

D= Desejo

A= Ação

Atenção: inicie buscando a atenção do público;

Interesse: busque mantê-lo interessado no conteúdo, apresentando informações relevantes;

Desejo: desperte desejo no público a partir da cura que o produto/serviço pode causar, para que a ação que sua copy está oferecendo, seja executada;

Ação: aquele CTA incrível que, quando as pessoas vêem, já cumpriram a ação.

E por falar em CTA…


O que é CTA e como criar uma chamada para ação legal? 

Do inglês “Call To Action” as “chamadas para ação”, como a própria tradução sugere, tem como objetivo fisgar um determinado público incentivando a executar uma ação. 

Para se inspirar e criar CTA’s atrativas, dá uma olhadinha nessas dicas:

Urgência: incentivar o imediatismo costuma funcionar bem, como “compre agora mesmo”;

Seja claro: exiba informações atrativas como valores, descontos, cupons;

Ofereça algo relevante: é comum utilizar as CTA’s para oferecer algo em troca do lead, como por exemplo: “deixe seu e-mail e receba um ebook sobre design”. Se esse lead é importante para você, ofereça algo que realmente seja relevante para ele também;

Seja direto: se a sua CTA tiver relação com engajamento, não faça perguntas muito longas, nem peça coisas muito específicas ou trabalhosas, como um twist carpado duplo de costas 😂 Respostas como “sim” ou “não”, deixarão o público mais disposto a falar mais sobre o tema. 


Finalizando…

Apesar das muitas técnicas e dicas que ajudam bastante no dia a dia, trabalhar como Copywriter requer também muita prática. Exige conhecimento sobre o produto/serviço que está escrevendo, sobre o público alvo, e claro, sobre escrita. 

Busque contar histórias a partir de diversas óticas, de diferentes pontos de vista. Certamente, alguns deles, cumprirão o papel da persuasão. 

Flw, vlw 🤙

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
VER TAMBÉM

Artigos relacionados

Ao continuar você concorda com nossa política de uso de cookies.