Como construir uma carreira de Designer Gráfico

Muita gente acredita que, por saber utilizar softwares como o Adobe Photoshop e Adobe Illustrator, por exemplo, já é suficiente para atuar como Designer Gráfico. Mas aí os trabalhos não ficam “profissionais” e as pessoas não compreendem o porquê disso. 

Mas, antes de falar sobre a técnica propriamente dita, vamos começar com uma pergunta.

O que faz, afinal, um Designer Gráfico? 

O designer é o profissional que executa trabalhos de design. Neste caso, o designer gráfico, cria soluções visuais para vários formatos online e offline, dando cor, estrutura, organizando as informações, “fazendo arte”. Tem um texto bem legal aqui do blog que fala sobre a profissão do Designer Gráfico que você pode ler clicando aqui.

A área do design gráfico permite que o criativo trabalhe em diversas funções diferentes. Conheça a seguir, algumas delas:

Direção de Arte

O diretor de arte pode trabalhar em agências de comunicação, de publicidade ou até mesmo em setores de marketing em empresas. Ele é o responsável por desenvolver projetos gráficos on e offline com base em um briefing e na identidade visual de uma marca. Também pode dirigir a produção final de um projeto.

Diagramação

O designer também pode dar vida a livros, jornais  e revistas a partir do desenvolvimento da diagramação desses projetos visuais. Ele vai encaixar as informações dentro dos espaços pré determinados, de uma forma que facilite o reconhecimento das informações aliados à identidade visual do projeto. 

Design de Embalagem

A embalagem é uma parte muito importante de um produto. O profissional designer de embalagens é o responsável por criar não só a arte mas também encontrar a melhor forma de utilizar a embalagem para diferenciar o produto. 

Animação

Imagine o seu desenho favorito… designers fizeram parte da criação e desenvolvimento dele. Seja para desenhar os personagens em 2 ou 3D, ou para dar vida criando movimentações para eles através da edição audiovisual.

Web Design

A criação do layout de um site, de um aplicativo e demais produtos online, muitas vezes, são responsabilidades de um Web Designer. É ele quem cria artes para a internet.

Design UI/UX

No caso de UI e UX, são escalados profissionais que, além da estética do design, precisam estar atentos também à interface e experiência do usuário. No Design UX (User Experience), o profissional cria de forma que sejam aplicadas melhorias no processo de experimentação e utilização, enquanto que no Design UI (User Interface), o profissional busca desenvolver interfaces mais fluídas e “amigáveis”. 

Design de Game

O designer de games, basicamente, é quem cria arte para jogos. Seja o desenvolvimento dos personagens, do cenário, enfim… de toda a parte visual de um game. 

Com tantas áreas possíveis, como é o mercado para um Designer Gráfico?

O design gráfico é uma área bastante importante para as marcas, produtos e serviços. Logo, é um profissional com muitas vagas disponíveis. Estamos na era das redes sociais e muitas empresas e profissionais divulgam seus trabalhos nessas redes, o que faz com que muitos designers sejam contratados para execução de diversas peças publicitárias. 

Além disso, podem ser contratados por agências de publicidade; agências de influenciadores; departamentos de marketing; gráficas; produtoras de vídeos; estúdios criativos; estúdios de design; emissoras de TV; editoras e muito mais.

Salários

De acordo com a Glassdoor – guia mundial de vagas – a média salarial de um Designer Gráfico no Brasil ultrapassa os R$ 2.200,00. Porém, encontram-se diversas vagas com valores maiores, chegando até os R$ 18.000,00.

Designer Gráfico

Somente na Catho – portal com divulgação de oportunidades de emprego – há mais de 1000 vagas disponíveis. 

Além das oportunidades de emprego, muitos designers trabalham também prestando serviço como freelancer através de valores fixos ou remunerados por demanda. Isso pode variar de acordo com o contrato. E por falar em contrato, esse é um documento primordial enquanto prestador de serviços. Se você precisa e não tem um contrato, clica aqui que temos um modelo pronto para uso. 

Se você quer saber mais detalhes sobre salários, temos uma matéria falando somente desse assunto, que você pode ler clicando aqui.

Como se tornar um designer gráfico?

Existem vários caminhos que podem te desenvolver enquanto profissional, como o curso de Design Gráfico aqui da Escola Casa. Ele te prepara para entender que a construção de bons designs acontece a partir de um processo. 

Por aqui, o aluno compreende o processo criativo e desenvolve habilidades de criação e desconstrução para apresentar soluções eficazes nas áreas de UI, Design editorial, Tipografia, Infografia, Branding e Comunicação Integrada.

 

O lado bom de estudar em um curso profissionalizante ministrado por um professor Mestre em Design com experiência prática e docente, é que é mais rápido que uma universidade e com conteúdo direto ao ponto e mão na massa, te preparando para o mercado em menos tempo. 

Também é mais interessante do que perder tempo buscando tutoriais no YouTube a cada nova ideia que se tenha e que queira executar. 

Para se tornar um designer diferenciado e muito acima da média, é importante que se tenha um conhecimento mais profundo, com ferramentas e métodos que destravem a criação, passando a produzir materiais com ótimos resultados, agindo na solução de problemas com foco no usuário. Tudo isso te ajudará a construir um portfólio relevante e procurado pelo mercado.

Falando em Portfólio…

E já que entramos no assunto PORTFÓLIO, aqui vão algumas dicas para você criar um material que realmente mostre a sua essência criativa. Para isso, imagine seu portfólio como um guarda-roupas, com portas e gavetas que organizam seu conteúdo de um jeito que seja fácil de encontrar aquilo que é preciso. Para isso:

◾ Fale de você: o marketing pessoal faz parte do processo. Reserve uma parte do portfólio para falar sobre seus estudos e sua experiência profissional;

◾ Defina objetivos: se você quer encontrar um cliente para desenvolver artes gráficas, foque nos seus materiais com as melhores artes gráficas já desenvolvidas. Se o perfil do cliente é minimalista, por exemplo, busque explorar neste caso, layouts com esse perfil;

◾ Mostre o processo: o processo criativo é longo e bastante interessante. Ao invés de só colocar o resultado final, experimente mostrar os detalhes e o processo por trás dos jobs criados;

◾ Pense esteticamente: crie pensando na estética mas deixe que seus trabalhos sejam o ponto alto da sua apresentação. Use fontes e cores que tornem a leitura e visualização agradável e simples;

◾ Seja profissional: a menos que esteja desenvolvendo um portfólio exclusivo para um cliente que tenha esse tipo de abertura, evite o uso de gírias, memes, expressões chulas e erros ortográficos.

A área do Design Gráfico é encantadora e te permite – em muitos casos – lidar com algumas das melhores sensações: a liberdade criativa e a liberdade geográfica.

Flw, vlw 🤙

—–

VER TAMBÉM

Artigos relacionados

Ao continuar você concorda com nossa política de uso de cookies.