O poder do Design Emocional

O poder do Design Emocional

Tudo o que acontece à nossa volta é compreendido por meio das ações e emoções. Quando possuímos afinidade com algo, alguém ou algum objeto, criamos imediatamente uma ligação emocional. Podemos demonstrar por meio da alegria, tristeza, prazer, angústia, surpresa, entre tantos outros sentimentos, que são a base do Design Emocional.

O conceito foca nas emoções e no que elas despertam na imaginação das pessoas, abastecendo a tomada de decisão e estreitando vínculos.

A emoção se concentra no sistema límbico que é inconsciente. Ele libera os hormônios da felicidade (dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina) e age sobre a memória. Por conta disso, as jornadas de compra desencadeiam uma série de sensações que agem como recompensas para as pessoas. 

photo5165941592698235218 1

O cientista cognitivo, Don Norman, escreveu o livro Emotional Design: Why We Love (or hate) Everyday Things – em português: Design Emocional: porque adoramos (ou detestamos) alguns objetivos do dia a dia.

No livro, o autor explica os sentimentos relacionando a três níveis emocionais que o produto precisa atingir ou projetar para ser bem-sucedido: visceral, comportamental e reflexivo.

O visceral é a nossa primeira impressão, vindo do inconsciente e ligado à imagem. É mais do que dizer que é legal, precisa parecer legal. 

Já o comportamental está ligado ao funcionamento satisfatório e eficaz do produto. Além de parecer legal, precisa mostrar que vai atender as necessidades.

E por último, o reflexivo, trata sobre auto imagem, status e pertencimento. Além de ser legal, precisa gerar vínculo e valor agregado. Ele ajuda na construção da nossa personalidade. 

Esses três níveis do design emocional podem ser alcançados integrando:

  • Conceitos – conectando a promoção à proposta de valor; 
  • Estilo – aproximando o usuário da proposta; 
  • Estética – produzindo emoções por meio de experiências visuais; 
  • Layout – garantindo unidade e pregnância; e 
  • Copy – reafirmando a emoção por meio de gatilhos.

Todos estes pontos do design servem para atrair, encantar e informar o público, mexendo com o emocional, com a finalidade de aproximar e conectar o público da empresa. 

E você, já se sentiu atraído pelo design de algo ou comprou algo por ser bonito? 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
VER TAMBÉM

ARTIGOS RELACIONADOS

Ao continuar você concorda com nossa política de uso de cookies.